O que é slow fashion?

O slow não é um conceito que vai e vem. Na moda, é um movimento sustentável, uma alternativa à produção em massa, que vem ganhando força e veio pra ficar.

O slow fashion que traduzido para o português significa moda lenta é uma maneira de identificar soluções sustentáveis ​​de moda, com base no reposicionamento de estratégias de design, produção, consumo, uso e reutilização, que estão surgindo como um modelo de negócios inovador que está ganhando cada vez mais força, e que veio como alternativa ao fast fashion ou mercado de massa.

o Slow promove uma maneira mais ética e sustentável de viver e consumir. Já que abrange toda a gama de movimentos da moda como por exemplo: o sustentável, ecológico e ético. Assim esse movimento é outro modelo de negócios que se concentra em desacelerar o consumismo, respeitar o meio ambiente e a ética.

Alguns elementos da filosofia do slow fashion incluem: comprar roupas vintage, redesenhar roupas velhas, fazer compras de pequenos produtores, fabricar roupas e acessórios em casa e comprar roupas que durem mais. Novas idéias e inovações de produtos estão constantemente redefinindo o slow fashion; portanto, o uso de uma definição estática e única ignoraria a natureza em evolução do conceito.



Diferentemente do fast fashion, a produção de slow fashion garante uma fabricação de qualidade para prolongar a vida útil da peça. Podendo ser considerada uma revolta ou ação contra o movimento do fast fashion baseado em tendências, peças de baixa qualidade em alta demanda. Desenvolver uma peça de roupa com uma conexão cultural e emocional também é pertinente ao objetivo do slow fashion: os consumidores manterão uma peça de roupa por mais de uma estação e se sentirem emocional ou culturalmente conectados à peça de roupa. A tributação está em estágio inicial de desenvolvimento, a fim de impedir que as empresas de moda comprem ou produzam materiais que não são feitos com materiais reciclados, orgânicos ou reaproveitados. Já que a utilização de materiais já fabricados reduzirá a pegada de carbono da indústria.

Há também um movimento importante para que as empresas sejam mais transparentes. A necessidade de as empresas mostrarem seus processos de fabricação aumenta a reputação das empresas e pode ajudar os compradores a tomar decisões mais conscientes. De acordo com o slow fashion, há uma tendência a compras mais conscientes, bem como empresas que atraem novos consumidores com seus processos ecológicos. Os consumidores ainda precisam pesquisar suas empresas, pois algumas delas usam a ideia de moda ecológica sem fazer o backup completo.


Selos do slow fashion

Embora o preço às vezes seja um impedimento para a compra de itens de slow fashion, a longo prazo, uma peça de roupa bem projetada e bem produzida sobreviverá a cinco peças de roupa baratas. Geralmente, quanto mais uma pessoa gasta em suas roupas, mais valor o item terá. Torna a peça mais especial e, portanto, fará a pessoa se sentir melhor sobre o que ela veste. Roupas de slow fashion são feitas de materiais de alta qualidade, geralmente com desenhos atemporais que podem ser usados ​​durante o ano todo e nunca saem de moda. Roupas de slow fashion também devem considerar o fim do ciclo de vida. Geralmente, se for bem feito e com fibras naturais, pode ser decomposto mais facilmente. Um problema atual da indústria fast fashion é a quantidade de resíduos gerados em aterros sanitários.

No entanto, a expressão "slow fashion" foi cunhada em um artigo de 2007 de Kate Fletcher publicado no The ecologist , onde ela comparou a indústria da moda ecológica / sustentável / ética ao movimento de slow food.

O Movimento Slow Food defende os seguintes princípios:

Bom: comida de qualidade, saborosa e saudável

Limpo: produção que não agride o meio ambiente

Justo: preços acessíveis aos consumidores e condições justas e pagamento aos produtores


O movimento da moda lenta foi estudado por Kate Fletcher, pesquisadora, autora, consultora e ativista de design, e autora de Sustainable Fashion and Textiles . Seus escritos integraram o pensamento do design à moda e aos têxteis como uma maneira necessária de avançar para uma indústria da moda mais sustentável.

Baseado nos princípios do "slow design" 3 criados em 2006 em Milão, Hazel Clark, no SLOW + FASHION - um oxímoro - ou uma promessa para o futuro ...?, decidiram definir os do Movimento Slow Fashion:


- adotando uma abordagem local

- ter um sistema de produção transparente

- fabricar produtos sustentáveis ​​e sensoriais



O slow fashion tem suas próprias estratégias de marketing, pois tem como alvo um certo tipo de consumidor. Ao contrário dos consumidores de moda rápida, os consumidores de moda lenta esperam peças de roupa clássicas e atemporais, dando importância à versatilidade, baixa manutenção e maior qualidade.

As estratégias de marketing relativas ao slow fashion geralmente giram em torno de um consumo mais consciente, concentrando a publicidade em aspectos ambientais e socialmente sustentáveis ​​nas roupas. As empresas usam várias estratégias para menos desperdício do que outras marcas, por exemplos mudando suas linhas de roupas com menos frequência, produzindo e estocando menos itens, prestando atenção ao material que eles usam, garantindo métodos éticos e não exploradores de produção.

A economia global tem um aspecto orientado para o mercado. Isso significa que os consumidores são incentivados a comprar sempre mais e os produtores são incentivados a sempre produzir mais. Esses dois aspectos se desenvolvem mutuamente. Diz-se que o atual modelo econômico é global porque o processo de produção é dividido em todo o mundo para maximizar a eficiência e o lucro. Já o slow fashion é mais lento, local e orientado para a qualidade. Portanto, não se encaixa bem no modelo de economia global . Vários trabalhos questionam a longevidade do Slow Fashion em uma sociedade orientada para o mercado.

O modo como o Slow Fashion funciona é o seguinte. Cada designer é incentivado a produzir localmente, ou seja, usando a força de trabalho e os recursos locais. A qualidade é escolhida sobre a quantidade, o que significa que o Slow Fashion se recusa a explorar recursos ou trabalhadores. As cadeias de produção são o mais transparente possível. Isso redefine a hierarquia entre designers, consumidores e produtores. Sabe-se que a moda é governada por tendências que vêm e vão rapidamente, o que incentiva o consumo. Os produtos finais oferecidos aos clientes são feitos para durar mais tempo e serem atemporais.

O Slow Fashion tem um custo de produção diferente e não pode produzir tanto em quantidade. A Slow Fashion não pode competir com os produtos produzidos em massa da Fast Fashion, que usam mão de obra e recursos baratos para maximizar os lucros. O Slow Fashion é muito local e utiliza materiais e tecidos de comércio justo de alta qualidade. Além disso, o Slow Fashion não é capaz de produzir tanto Fast Fashion devido ao processo de produção muito diferente.


Gostaram do post? me diz ai se já estão adotando práticas conscientes de consumos. Beijos

79 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo